O Programa

“Amigo é coisa pra se guardar no lado esquerdo do peito”, disserem Milton Nascimento e Fernando Brandt em sua Canção da América. Como eles, vários outros artistas tentaram dar sentido à palavra “amigo”. Mas essa palavra tem um significado tão profundo que ultrapassa definições, por mais precisas que sejam as expressões que tentem defini-la.

Na Casa de Vovó Dedé a palavra amigo, de que tratamos com tanto zelo, é utilizada em toda a sua intensidade.

Ao longo de 23 anos, com mais de 15 oficinas de arte, diariamente a Casa recebe crianças e jovens para a aprendizagem e prática, no bairro da Barra do Ceará e diversos bairros do entorno. É um gesto de amizade plena porque embasada na certeza de que um futuro brilhante se faz pelo zelo constante pelo presente. Além do mero ensinamento de uma função profissional ligada ao universo da arte, a Casa de Vovó Dedé prepara cidadãos para exercitarem a sociabilidade. Foram essas diretrizes que inspiraram a sua criação: a formação de seres humanos ocupados com a execução de um ofício profissional e preocupados com o seu papel de cidadãos agentes dos melhores gestos humanitários, voltados ao mundo em que vivem e onde atuam. Jovens que se tornarão adultos conscientes do valor da palavra amigo, seja quando doam, seja quando recebem.

Quando sonhou com a Casa de Vovó Dedé, há quase trinta anos, Mansueto Barbosa estava ciente da enormidade contida em todas as letras que compõem a palavra amigo. Ele entendia a amplitude de amizade, e para defini-la usava a ação em detrimento de palavras conceituais.

Entre os amigos que a Casa de Vovó Dedé tem há anos, há uma espécie que conhece os inúmeros desafios que se postam a toda hora na luta pelo aperfeiçoamento dos seus projetos. Há os que, além da capacidade de ver a Casa com o olhar do coração, possuem o desprendimento de ver as necessidades materiais que se apresentam e desejam colaborar materialmente para a plena execução de todos os seus projetos.

É desses amigos que a Casa de Vovó Dedé está necessitando neste momento. É por eles que ela procura. É a eles que se dirige este Projeto.

A Casa de Vovó Dedé não anseia por simples doadores de benefícios financeiros. Neste momento, ela procura homens com luz interior bastante para enxergar a grandeza do que se passa na Casa e, por amor e consciência do social, tornarem-se parceiros desse espaço de fraternidade. A casa carece de homens que estendam a sua generosidade a todas as crianças e jovens que dependem da Casa.

É a proposta que agora fazemos diretamente a você, amigo: fazer parte do projeto AMIGO DA CASA DE VOVÓ DEDÉ

Comments are closed.